Frases & Fragmentos / Quotes & Fragments

Respostas

“A formulação de um problema é , muitas vezes, mais importante que sua solução, a qual vai depender simplesmente de uma habilidade matemática ou experimental. Fazer novas perguntas e considerar novas possibilidades para enfocar velhos problemas através de um novo ângulo, isso sim exige imaginação criadora e indica o verdadeiro progresso da ciência.”Albert Einstein

Senti um misto de alívio e desespero quando li essa afirmação de Einstein, talvez porque a interprete de maneira emocional, não só pensando em respostas e soluções científicas, mas em todas as respostas exatas que buscamos, como bons “animais definidores”.

Cyro dos Anjos, escritor mineiro me marcou em seu livro “O Amanuense Belmiro” quando diz que nós homens somos animais definidores, colocamos nome em tudo. Essa nomeação desenfreada faz sentido se pensarmos o quanto as respostas exatas são reconfortantes, elas concedem exatidão `as nossas pluralidades, nos dando a ilusão de que é possível nomeá-las com um só significado. Nomear talvez seja um querer responder com finitude, querer exterminar o dilema. Por isso, e talvez você concorde comigo, é desesperador aceitar que não são as respostas exatas que importam, e sim a busca, a formulação de hipóteses. Alias, mais difícil é talvez aceitar que não existem respostas exatas.

Tudo isso, me lembra inclusive,uma professora de artes visuais que em sua palestra na FAV ( Faculdade de Artes Visuais da Universidade Federal de Goiás), disse algo fantástico: ” Eu prefiro o errado ao óbvio.” O errado, defendia ela, ao menos nos faz levantar hipóteses, o óbvio é estático. Isso me dá um certo alívio, é um peso ter sempre que encontrar respostas, e olha que não é qualquer resposta, é a resposta “certa”. É como se estivéssemos sempre tentando chegar ao fim, e como disse no post anterior o fim não deveria importar tanto assim.

Answers

“The formulation of a problem is often more important than its solution, which will depend on just a mathematical or experimental skill. Ask new questions and consider new possibilities to focus on old problems through a new angle that is what requires creative imagination and shows the real progress of science ” (Albert Einstein).

I felt a mix of relief and disturbance when I read Einstein´s statement. Perhaps because I interpreted it in an emotional way, not just thinking of answers and scientific solutions, but in all the precise answers we, human beings, seek as good “defining animals.”

Cyro dos Anjos claims, in his book “O Amanuense Belmiro”,that we men are defining animals as we just love to give names to everything. This definition makes sense if we think how comforting answers are. Answers provide exactitude to our pluralities giving us the illusion that we can define these pluralities with a single meaning. I guess that the desire to find answers is in reality a desire to give finitude to things and a willing to exterminate our dilemmas. So, perhaps you agree with me that it is quite disturbing to admit that the search, the formulating of hypotheses is what really matters. In fact, it is perhaps more difficult to accept that there are no such things as precise answers.

 All this reminds me of a professor of Visual Arts in her lecture at the FAV (Visual Arts School of Goiás University). She said something amazing: “I prefer the wrong to the obvious.” Wrong, she held, at least makes us formulate hypotheses, the obvious, instead, is static. What a relief to think like this. It is so difficult to find answers, especially when the answers carry the obligation to be right and precise. It seems that we are always trying to reach an end, and as I wrote in the previous post the end should not matter that much.

3 thoughts on “Respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *